Cárie de Mamadeira: Um problema desde o berço


A amamentação frequente e sem higiene, seja natural ou artificial no período da madrugada, pode acarretar na "cárie de mamadeira" ou também chamada de "cárie rampante". Este tipo, é uma cárie agressiva, aguda, de rapido desenvolvimento e que provoca bastante dor e incômodo, podendo causar, inclusive, a destruição total dos dentes decíduos (de leite) em um pequeno espaço de tempo. É uma doença que pode vir a se desenvolver em crianças ainda no seu primeiro ano de vida.

O que é cárie?

A cárie é uma destruição localizada dos tecidos dentais causada pela ação das bactérias. A desmineralização dos tecidos dentais (esmalte, dentina ou cemento) é causada por ácidos, especialmente o ácido lático, produzido pela fermentação bacteriana dos carboidratos da dieta, geralmente a sacarose. Ela é transmissível, multifatorial e depende bastante da higiene oral e dieta do indivíduo.

Cárie de mamadeira

Esse tipo de cárie acontece da seguinte forma: Quando a criança adormece, a frequência de deglutição, bem como a quantidade de saliva produzida pela boca diminui, e esta última é responsável por banhar e proteger os dentes das bactérias. Esses elementos associados mais o longo período em que a criança permanece dormindo, são suficientes para o enfraquecimento das superfícies dentais. Essa doença representa a forma mais comum de cáries em crianças de até 3 anos de idade.

Líquidos açucarados, amamentação noturna e o hábito de sempre dar a criança a mamadeira no período noturno, acaba acarretando em acúmulo de bactérias que se alimentam do carboidrato (açúcar) do leite natural ou industrializado que contém nos leites para bebês.

Sinais a se notar

Clinicamente, se inicia com manchas esbranquiçadas nos incisivos superiores e inferiores, que, mais tarde, se não removido o hábito ou por falta de diagnóstico, podem vir a formar grandes cavidades (cárie ), podendo até destruir sua coroa clínica. O agravamento mais comum dessa doença é a perda total das coroas dos 4 incisivos superiores, que estão em constante contato com a mamadeira ou o peito da mãe e ressecam facilmente por a boca da criança ficar muitas vezes aberta durante o sono. Nos incisivos inferiores, o desgasto é menos intenso, pois a língua cobre-os, dessa forma, banhando-os com saliva, que neutraliza os efeitos adversos do açúcar nos dentes da criança.

Evitando o problema

Para evitar a cárie de mamadeira os pais, devem, na medida do possível, é claro, evitar dar leite as crianças durante o período da madrugada ou antes dos seus pequenos dormirem. Esse é o momento de descanso, ela não precisa mamar, pois caso positivo, ela estará sendo induzida a um hábito vicioso e nocivo a sua saúde, que poderá prejudicar seus dentes, mesmo estes sendo em pequena quantidade, principalmente se for adicionado qualquer tipo de "atrativo" no bico do que venha a ser introduzido na boca da criança, como mel na chupeta ou na mamadeira e em muitos casos, o próprio açúcar refinado.

Passado os 6 meses, o leite materno não pode ser o alimento principal da criança, devendo-se alternar entre as formas de nutrição. Ire removendo, gradualmente, este hábito, de forma a retirar por completo a chupeta do uso diário da criança que ainda poderá vir a dar trabalho, pois já estará acostumada.

Muitas vezes o bebê acorda a noite apenas precisando de carinho e atenção, e em sua maioria, apenas sede e não fome. Comece com esse tipo de tratamento, assim ela se acostumará a não ficar pedindo mamadeira nem peito da mãe durante a madrugada.

A higiene oral é essencial

A limpeza da boca deve ser SEMPRE feita após a amamentação, tanto na mamadeira quanto no peito da mãe, sendo esta com gaze ou até mesmo fralda embebedada com água filtrada ou alguma outra solução que o odontopediatra indique aos pais. Após o aparecimento dos primeiros dentinhos, já se recomenda utilização de escova extra-macia para a higienização da boca da criança, esta sendo feita de forma sutil e leve. Evitar ao máximo pastas com flúor, pois estas causam, em grande quantidade, fluorose, que são manchas esbranquiçadas nos dentes dos pequenos, mesmo depois de adultos.

É essencial que, se os sintomas de lesões já estiverem presentes, que os pais ou responsáveis procurem um dentista odontopediatra, que é o profissional especialista em cuidados da saúde oral de crianças e bebês. Em caso de mais dúvidas, procure seu dentista, ele irá te orientar da maneira mais correta e indicada possível.

Por: Victor Hugo Rebouças

Sobre Victor Hugo Rebouças e Daniella Allende:

Acadêmicos do curso de odontologia da Universidade Potiguar, em Natal/RN. 🔸 Victor é o fundador e presidente da Liga Acadêmica de Odontologia Estética do Rio Grande do Norte e possui experiência em marketing voltado para a odontologia e redes sociais. É o autor-responsável do site O Dentista Acadêmico. 🔸 Daniella é aluna do último período da faculdade e conta com experiência em divulgação odontológica em mídias sociais. É sócio-autora do site O Dentista Acadêmico.