A importância do EPI para o cirurgião-dentista


O cirurgião-dentista é um profissional que sofre constantemente o risco de se contaminar com objetos perfuro-cortantes, além de sofrer agressões químicas constantes devido aos materiais. Mas quero saber de você, colega dentista, acadêmico de odontologia, TSBs, ASBs, TPDs e demais profissionais da área, usam corretamente seus Equipamentos de Proteção Individual? Leia essa matéria e entenda melhor a importância do uso deles.


É mais comum do que imaginamos acidentes dentro do consultório odontológico ou clínicas para práticas de universidades acontecer. Muitos destes, porém, poderiam ser evitados, caso o uso dos EPIs não fossem negligenciados por profissionais e alunos. Mas não são apenas os acidentes físicos que sofremos diariamente, o AR está infestado de agentes contaminantes, sendo esses bactérias e vírus que muitos dos seus pacientes - e até você mesmo - trazem para dentro do seu ambiente de trabalho.

Máscaras

Ao respirar sem máscara, por exemplo, você fica cerca de 80% mais suscetível a ser contaminado por um vírus, por estar diretamente exposto a respiração e gotículas de saliva de seus pacientes, bem como aerossóis que inclusive contaminam seus equipamentos e roupas. E não é só sua proteção que está em jogo, o paciente também não merece respirar ou sentir sua saliva respingando ao falar bem próximo a ele enquanto o mesmo estiver deitado no equipo, não é mesmo?

Óculos

Os óculos fazem basicamente a mesma função da máscara, mas nesse caso não trabalha em cima da respiração e sim protegendo sua mucosa ocular que pode facilmente ser contaminada com um agente que está ali tranquilamente flutuando pelo ar enquanto você utiliza as peças de mão no seu paciente.

Luvas

É de se imaginar a importância delas, correto? Talvez o EPI mais importante durante um procedimento, pois ele evita que sua pele entre em contato diretamente com sangue e fluidos corporais do seu paciente, evitando assim que você seja contaminado. As luvas também te protegem do seu próprio consultório, pois ele não está 100% desinfectado, mesmo mantendo rigoroso controle de assepsia diariamente. As queridinhas de borracha também te protegem dos produtos químicos comumente utilizado na rotina odontológica de seu consultório. Ah, e lembre-se: Luvas NÃO te protegem 100% de cortes e furos que você possa sofrer ao manipular agulhas e bisturis, então sempre tenha cuidado ao trabalhar com esse tipo de instrumento.

Toucas

Elas são mais proteção para seu paciente do que para você, pois elas evitam, assim como um cheff de cozinha, por exemplo, que fios de cabelo caiam sobre a comida, no nosso caso no paciente ou em seu campo de trabalho no momento do procedimento.

Jaleco/Bata

Para nós da área odontológica, o jaleco mais indicado é o de gola padre com punhos de elástico, pois eles protegem ainda mais seu corpo contra agentes que possam vir a te contaminar. A gola padre juntamente com a máscara e óculos, vedam quase que completamente seu rosto e pescoço, já o punho de elástico, veda seu braço ao colocar as luvas. Além disso, o jaleco normal sem ter punho de elástico, fica com o punho frouxo e incomodaria seu paciente, além de poder ficar preso em algo e causar um acidente. E como sempre se diz por aí: Jaleco não é capa de chuva, nem moletom para sair na rua, muito menos pano para você sentar na calçada. Jaleco é proteção e não status.

Sapato Fechado

O sapato fechado evita que algum instrumento ou material perfuro-cortante escape das suas mãos ou caia do seu equipo ou bandeja, não venha a machucar seu pé. Por isso é importante utilizar sapatos fechados completamente, sem aqueles furinhos ou detalhes na parte de cima, e se possível, que seja feito em couro sintético.


Espero que depois desse artigo, você tenha entendido melhor a importância de se utilizar esses nossos companheiros do dia-a-dia de consultório. Proteja-se e proteja seus pacientes. Biossegurança em primeiro lugar, sempre.
Forte abraço!
-Por: Victor Hugo Rebouças

Sobre Victor Hugo Rebouças e Daniella Allende:

Acadêmicos do curso de odontologia da Universidade Potiguar, em Natal/RN. 🔸 Victor é o fundador e presidente da Liga Acadêmica de Odontologia Estética do Rio Grande do Norte e possui experiência em marketing voltado para a odontologia e redes sociais. É o autor-responsável do site O Dentista Acadêmico. 🔸 Daniella é aluna do último período da faculdade e conta com experiência em divulgação odontológica em mídias sociais. É sócio-autora do site O Dentista Acadêmico.